Arquivo para agosto \28\UTC 2008

28
ago
08

Feriado (titulo provisório, claro)

Era feriado no dia em que ele decidiu pular. A rua estava tranqüila. Poucos carros transitando. Pedestres, nem pensar. A cidade inteira estava quieta. Menos ele, que minutos antes falava consigo mesmo sobre o propósito de sua decisão.

06
ago
08

Sites indiretamente relacionados

05
ago
08

Próximo conto: A moça do caixa



Com alguma dificuldade, o homem conseguiu retirar do carrinho um enorme saco plástico com um pedaço de porco dentro, ainda congelado. Janete acionou a esteira e ficou observando o pedaço de porco de aproximando lentamente, enquanto o homem colocava outras coisas sobre a esteira. Janete olhava apenas para o porco. Não havia ninguém mais além do homem. Ela olhou para o imenso relógio colocado do outro lado do supermercado, sobre a padaria e viu que ainda faltava 8 ou 10 minutos para encerrar seu turno. “Tudo pode acontecer” pensou ela, enquanto passava empacotava um pacote de farinha de mandioca. Poderia ser de milho, mas Janete não sabia a diferença entre as duas. Esperou o homem tirar o dinheiro da carteira, contar lentamente e entregar e ela o valor exato da compra. O homem pegou suas sacolas numa direção que ela não reparou. Ao terminar de contar o dinheiro percebeu que a havia uma moeda de cinqüenta centavos a mais. Tentou procurar o homem, mas ele já havia sumido, provavelmente em direção ao estacionamento. Pensou em ir atrás do homem, mas a chegada do supervisor de caixa a inibiu.

– Pode fechar seu caixa, Janete – disse ele, sem sequer olhar para ela, que também não se importou em fazer o mesmo.